CONGRESSO

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Enquanto houver corrupção, marcharemos!


Mais de 4 mil pessoas tomaram conta das ruas de São Luís, dia 07 de outubro de 2.011, na maior demonstração de militância cidadã do Estado do Maranhão: marchar contra a corrupção, como forma de defender a vida, os direitos humanos, a soberania popular.

Ao sair da rotatória do Tirirical, a palavra de ordem pronunciada já mostrava o ânimo dos/as marchantes para percorrer os 12 km planejados: “enquanto houver corrupção, marcharemos!”

Um dia para entrar na história do Maranhão, na história da sociedade civil, na história dos grupos organizados nesse imenso território, um dia para ajudar na formação de uma nova consciência de militância: organizada, que enfrenta as injustiças, que reivindica, que não foge à luta!

Estavam presentes todos os segmentos sociais explorados e oprimidos do Estado, representantes de todas as regiões, todos os caminhos se encontrando no palco de luta do povo: a rua!

E o povo mais uma vez mostrou a sua cara, cor e força, para que ninguém esqueça jamais que o “povo na rua a luta continua”.

Na parte da tarde no ginásio do IFMA, no Monte Castelo, as atividades foram encerradas com uma audiência pública, em que foi garantido aos participantes da Marcha o direito humano de reivindicar os seus direitos, mostrando como são usurpados pela corrupção.

Na mesa da audiência pública presentes estavam entidades da sociedade civil maranhense, como os Fóruns e Redes de Cidadania, Cáritas Regional, CNBB, OAB/MA, MST, ASP, RIPP, RECID, Força Tarefa Popular do Piauí e representantes de poderes ou órgãos do Estado, como Promotoria de Justiça de Imperatriz, Procuradoria Geral da República e Controladoria Geral da União.

Diversos representantes municipais afirmaram em alto e bom tom que estavam presentes na luta, momento em que o presidente da Mesa de Trabalho, Dom Xavier Gilles, Bispo Emérito de Viana, iniciou a sessão, agradecendo o convite formulado e saudando todos os presentes.

Além de Dom Xavier, fizeram questão de estar presentes à audiência, pronunciando palavras de incentivo e ânimo para os presentes, o presidente da CNBB/NE 5 Dom Gilberto Pastana, Bispo de Imperatriz, e Dom Enemésio Angelo Lazzaris, vice-presidente da CPT nacional, Bispo de Balsas.

No entendimento de Iriomar Teixeira, Assessor Jurídico dos Fóruns e Redes de Cidadania, a marcha tem propósito não só de mostrar “o roubo, chamado pela lei de desvio, sistemático de recursos públicos, bem como demonstrar que essa delito é fruto de uma quadrilha, enredada numa teia de relações políticas, de amizades, empresariais e familiares entre os poderes”

Para o diretor executivo da Cáritas Brasileira no Maranhão, Ricarte Almeida, a presença organizada e massiva do povo, a articulação conjunta das entidades da sociedade civil e a demonstração de uma mobilização desse porte, apenas faz crer na força e revigoramento do movimento social, pois na sua visão somente dessa forma se pode “lutar contra gente tão poderosa”.

“O presidente fez questão que a OAB estivesse presente, pois essa luta é de todos nós”, afirmou Antônio Pedrosa, presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB/MA, que representou o presidente da Seccional Maranhão da Ordem, Mário Macieira, na audiência.

“No Maranhão, essas práticas de corrupção se tornaram tradicionais, é a corrupção que tira o direito dos pobres, o dinheiro que deveria ser utilizado nos serviços públicos, desviado para enriquecer alguns e para alimentar campanhas políticas. Precisamos saber que a corrupção fere os Direitos Humanos. Quando discutimos a corrupção, estamos discutindo, inclusive, o comportamento do poder judiciário e do ministério público, que devem se abrir para a sociedade”, declarou.  

Segundo Dimas dos Santos Silva, responsável pelo Monitoramento do Plano de Ação dos Fóruns e Redes de Cidadania, o objetivo da marcha é: "realizar um combate efetivo à corrupção no Estado e despertar os órgãos públicos de fiscalização responsáveis, a fim de garantir que um conjunto de direitos humanos sejam garantidos."

Vinte e dois representantes das caravanas municipais mostraram a realidade da corrupção em seus municípios, sendo produzidos 10 dossiês pelas auditorias populares e 11 casos de requerimento de investigação, sobre casos de indícios de desvio de recursos públicos federais.

Simbolicamente, o dossiê de São Benedito do Rio Preto foi entregue ao representante da Procuradoria Geral da República no Maranhão, detalhando como a corrupção se estabeleceu na atual gestão municipal, comandada por José Creomar.

Diferente de outros movimentos feitos no país, em que empresários, partidos políticos e governos financiam tais marchas, reivindicando a diminuição da carga tributária ou “demonizando” a vida política, a marcha maranhense organizada pelos Fóruns e Redes de Cidadania se baseia na organização popular, inclusive no partilhar de todas as despesas entre os/as participantes, arrecadando recursos junto ao povo, dividindo todos os custos com transporte e mobilização, para exigir participação na vida política, cobrar do Estado eficientes políticas públicas e reivindicar que os ricos do país paguem impostos e não façam como de costume: jogar nas costas do povo!

Ao final do trabalho, todos/as presentes emocionados/as, encerram as atividades entoando o hino nacional, fortalecidos/as pelo dever de cidadania devidamente cumprido e certa de que o verso do hino “verás que um filho teu não foge à luta” não será jamais esquecido, dando ânimo e força para continuar acompanhando o desenrolar dos procedimentos, enquanto restabelecem as forças para 2012, com a já esperada IV Marcha. 

6 comentários:

José Atailson P. dos Santos disse...

Eu acredito no povo que sofre, se organiza e luta para vencer! PARA VENCER!!!
Vencer o mal da corrupção que destrói a vida, mata o irmão! NÓS VAMOS VENCER!!!
Vencer o mal da omissão que mantém o povo na exploração!!! NÓS VAMOS VENCER!!!
Núcleo de Pte Vargas das Redes e Foruns da Cidadania do MA.

José Atailson P. dos Santo e Maria Josés disse...

Maria José, ao ler o Blog Diário de luta comentou: Essa marcha é diferente das outras porque os marchantes estão mais conscientes.O povo pagou a sua passagem e comeu o frito que levou. O povo que foi a marcha não foi iludido por promessa e nem em busca de milagre, mas, numa demonstração de força e coragem, combater a corrupção. Entende também que a dor dos pobres, a miséria produzida no Maranhão tem nome e endereço:palácio dos LEÕES.

Anônimo disse...

O maranhão é o nosso chão de luta, o povo entendeu que para vencer é necessário mostrar nossa força e essa força só se dá através da organização da nossa gente e nós mostramos através da nossa marcha que povo organizado luta e vence!!!!!!

Márcia Natalina
Rede de Defesa/núcleo Vargem Grande

Anônimo disse...

FORTE! é povo na rua, e foi isto que mostramos para estes que se dizem poderosos e na verade são só verdadeiros corruptos. que eles estão chegando ao fim ,porque estamos vigilantes e a cada dia vamos cobrar muito mais. CADEIA PARA ESTES BANDIDOS.
NDDC de SBRioPrêto

jo disse...

com bandeiras nas ruas exigindo direitos q ja são nossos hà tempos,infelizmente coisa de papel letra morta(devido a ganância e a roubalheira dos dos parasitas q sugam sem cessar os cofres publicos), porém a luz do sol fraterno e em momento algum alheio, brilou na face esperançosa e ousada de cada prático cidadão que foi pra rua gritar, marchar, exigir direitos, dignidade, respeito e igualdade. e por fim parafraseando titãs: a gente não quer só a democracia a gente quer o fim da corrupção!!!

jozimar bezerra

Ianaldo Pimnetel disse...

o povo nas ruas na luta para garantir o direito de ter uma vida digna, o direito de ter direito.
Como diz a canção "eu quero ver, eu quero ver acontecer um sonho bom, sonho de muitos a contecer". o que muitos achava um sonho hoje é realidade o povo nas ruas falando a verdade, ninguem calará a nossa foz.
REDE DE DEFESA, NÙCLEO DE CANTANHEDE