CONGRESSO

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Rede Roseana de "hospitais": primeiro esqueleto

Eis, ao lado, a primeira fotografia de um “hospital” da rede Roseana de Saúde.


Como gostam de dizer os positivistas: contra fatos, não existem argumentos!

Abandonado, pleno de matagal, trabalho só de “agá”!

Encontra-se localizado no município de Presidente Médici, mais conhecido como Santa Teresa do Paruá, BR-316, KM-98.

Na placa de identificação está registrado:

- Nome da Empresa: Console – Construtora Console Soares Leite Ltda
- Obra: Construção de Unidade de Saúde Hospitalar com 20 leitos
- Data: 27/11/2009
- Valor da Obra: 1.827.059,86
- Prazo de Execução: 270 dias

Passados 573 dias e o “hospital” ainda se encontra nesse estado.

Só para se ter uma idéia da irresponsabilidade do governo, que nas propagandas se afirma como competente, o valor da obra corresponde:

- a 25% de tudo o que o município de Presidente Médici recebeu em 2.010, contabilizados aí todos os recursos;
- superior duas vezes e meio aos recursos destinados a área de saúde do município, contabilizados aí todas as receitas;
- oito vezes maior do que os recursos destinados ao Piso de Atenção Básica Fixo.

Clique aqui para ver.

Como objeto de propaganda publicitária serviu muito. Para colher votos, ou melhor, comprar votos, também.

No entanto, verifica-se não ter havido discussão com a sociedade e seus órgãos, planejamento e muito menos gestão correta dos recursos públicos.

Não é desse jeito que se obedece ao princípio da descentralização do Sistema Único de Saúde, ao inviabilizar a sua gestão,  a manutenção da rede, a integração do sistema, a divisão de atribuições e a previsão e transferência de recursos.

A melhor palavra para isso é avacalhação!

Enquanto isso, a população sofre e os seus doentes são transferidos para Santa Luzia do Paruá ou Governador Nunes Freire, mendigando atendimento.

Quando tem um pouquinho mais de recursos, são encaminhados para São Luís, Belém ou Teresina.

Espera-se que agora o Ministério Público, omisso em todo esse processo, cumpra o seu dever constitucional, pois razões existem de sobra.

E nem pode alegar que não sabe de nada, pois o “esqueleto” de hospital fica à margem da BR-316, KM-98, exatamente a 18 km da sede da Promotoria de Justiça, do lado direito, no sentido Santa Luzia do Paruá/Santa Teresa do Paruá.

 A obra já extrapolou duas vezes o seu prazo de execução.

Será que a população terá de comemorar o aniversário de dois anos do “esqueleto” para chamar a atenção das autoridades (in)competentes?

Clique aqui para ver a lista completa dos “hospitais” por município.

Ou melhor, por empreiteira!

Nenhum comentário: