CONGRESSO

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Carta dos Policiais Militares aos Quilombolas, Indígenas e Sem-Terra do Maranhão: a luta por dignidade nos faz irmãos!


Carta aberta à população brasileira 

Hoje, quando a nossa categoria está em greve em todo o Maranhão, está chegando a São Luís grupos de quilombolas e de lavradores sem terra. Eles, que após sucessivos acampamentos, vem novamente à nossa capital, desta vez para tratar com o presidente nacional do INCRA. 

Sabemos que, historicamente, a relação entre a Polícia Militar e as organizações populares em nosso país não é boa. Porém, neste momento importante da história, onde lutamos por dignidade e melhores condições de trabalho, achamos oportuno falar desta outra luta, travada pelos homens e mulheres do campo.

Primeiro, temos que lamentar pela violência, oriunda dos conflitos de terra. Infelizmente ela acontece e nós, ao longo do tempo, tivemos nossa parcela de responsabilidade neste problema. Admitimos os nossos excessos e, agora, pedimos desculpas por eles. 

Por outro lado, agora, quando grande parte da sociedade maranhense está sendo solidária conosco, queremos também deixar clara a nossa solidariedade com a luta dos quilombolas, dos índios, dos sem terra! Somos o mesmo povo, vítimas da mesma opressão, da mesma exploração que se alastras pelos quatro cantos do Maranhão! 

É importante, antes de tudo, reconhecer que nós somos todos irmãos! 

Hoje, nós estamos acampados na Assembléia Legislativa, querendo condições de trabalho para sustentar nossas famílias, enquanto eles querendo a terra, também para comer e sustentar os seus filhos. É nosso desejo que – nesta circunstância absolutamente atípica – se possa tentar inaugurar um novo momento entre os servidores públicos militares do Maranhão e as organizações sociais do campo e da cidade. 

Achamos importante dar este  exemplo para o Brasil, mostrando o verdadeiro valor do nosso povo, a grandeza da nossa gente e gritando bem alto que hoje, no Maranhão, não se consente mais esperar! 

São Luís, 29 de novembro de 2011 
Associação dos Servidores Públicos Militares do Maranhão 

3 comentários:

jo disse...

"É A DOR QUE FAZ O GEMIDO" DITO ESSE, VÁRIAS VEZES PROFERIDO POR UMA SAUDOSA AMIGA (KÁSSIA KARILENE),DE ITAPECUCU-MIRIM. E, ENQUANTO LIA ESSA CARTA QUE DIGA-SE DE PASSAGEM BEM CLARA E COESA, FOI A PRIMEIRA FRASE QUE ME VEIO A CABEÇA, É NOTÓRIO QUE A LUTA DE NOSSOS IRMÃOS SERVIDORES PUBLICOS MILITARES É MAIS QUE JUSTA, É DIGNA, É LOUVÁVEL. LOUVÁVEL É TAMBÉM A INICIATIVA DE ESTREITAR OS LAÇOS TÃO ASSOLADOS ENTRE PM´S E MOVIMENTOS SOCIAIS,COMO JÁ CANTARA CAZUZA:"SOMOS TODOS IGUAIS EM DESGRAÇA" ENTÃO, DE JUNTOS PADECEMOS DO MESMO MAL, NADA É MAIS CERTO QUE JUNTOS TAMBÉM ENFRENTÁ-LO. E POR FIM. COMO FOI MUITO BEM SALIENTADO: A LUTA POR DIGNIDADE NOS FAZ IRMÃOS, POIS NO MARANHÃO NÃO CONSENTE MAIS ESPERAR!



JOZIMAR BEZERRA

Ianaldo Pimentel disse...

Nós servidore do serviço público de Pirapemas tambem estamos em greve.são tatos direito violados.queremos ser respeitados pagamos impostos nesse país.É alimentação das crianças que não chegam nas escola, os baixos salários dos servidores da educação, o transporte escola que não tem e quando tem é de péssima qualidade, falta políticas públicas para os jovens.
esta é a realidade do Maranhão,mas acreditamos na organização, povo unido e organizado luta e vence!
REDE DE DEFESA, NÚCLEO DE CANTANHED

Núcleo de Pte. Vargas da RFC-MA disse...

O que é o Estado? Nada mais do que as instituições que o formam: a sociedade, as leis, os três poderes,as policias...porém o jogo de forças alimentado pelo modelo de desenvolvimento e pela ganância dos ricos não tem limite. Para estes, quanto mais a sociedade está ruim é melhor. Aos policiais, nossa solidariedade. Somos humanos não apenas no momento da dor de uma das partes, mas durante a nossa existência. Valeu o reconhecimento dos excessos de forças na hora de cumprir um Mandado Judicial contra as organizações sociais. Somos todos o melhor Patrimonio deste Estado, do qual retomaremos a direção e prenderemos os maus, que agora nos humilham, nos prendem, nos exploram, nos matam aos poucos.Vale dizer o POVO nas ruas luta e Vence! Núcleo Local das Redes e Fóruns da Cidadania do Maranhão.